Close

bruna

O FUNDADOR

Comemoramos os duzentos anos da Constituição de 1824. Sua gênese são as forças contraditórias que agiam quando se inaugurava a Nação e que se expressavam no próprio Pedro I. No jovem imperador se acumulavam os conflitos: o passional e o refletido, o romântico e o herdeiro das luzes, o príncipe e o democrata, o homem de ação e o homem de concepção. Era muito jovem — lembremos que nascera dois anos antes do século —, tivera uma educação caótica, sua mãe e seu pai se odiavam, tinha sentimentos por Portugal Continue a ler

O milagre da língua

  Na década de 1990, a França deu o grito de alerta: se não reagirmos, dentro de quatro gerações o inglês será a língua universal. Nossos idiomas morrerão e serão apenas referências históricas. Na realidade, a língua é um instrumento de identidade e cultura. Hoje, mais do que nunca, tornou-se, também, uma fundamental ferramenta da identidade nacional. Quando em 1989 visitei Angola, o Presidente José Eduardo dos Santos falou-me da dificuldade dos projetos de educação e das relações tribais, pela barreira das línguas. Disse-lhe que o colonizador português, que tantos erros Continue a ler

COISA E CRISE

A Folha de S. Paulo, quando eu escrevia uma coluna semanal, abriu o tema do significado de “coisa” como uma palavra que servia para tudo e no fundo era sinônimo de qualquer substantivo feminino que tivéssemos como tema do nosso artigo. Era um convite a ficar “por dentro das coisas”, para falar “coisa com coisa”. Coisa de inteligência, digna de ver a coisa como a coisa é. Exemplo: Benedito Valadares, prudente e arguto, quando encontrou Juscelino, a quem tinha lançado na política, perguntou-lhe, irritado: “Você ficou doido? A coisa está Continue a ler

Quo vadis?

As enchentes no Rio Grande do Sul estão chegando a uma repetição que nos dão o sentido de que provocam uma dor que não passa. Desde outubro do ano passado o Rio Grande enfrenta, num mecanismo contraditório, seca e enchente. A primeira destruindo as lavouras, e a segundo inundando os vales nas regiões montanhosas do sul. E agora, época de chuvas, elas vêm todo dia, como se quisessem repetir o dilúvio das épocas primeiras. E, quando passarem, virá, já se anuncia, repetindo o ciclo, uma grande seca. Nessa fúria da Continue a ler

As águas de março

As águas perseguem os homens desde Noé. São comuns a todos os povos os relatos de dilúvio. Há descrição na mitologia e nas religiões. A Bíblia diz que o mundo era somente água e que Deus, depois que fez a Terra e o homem conheceu o pecado, resolveu voltar o mundo todo ao aspecto primitivo aquoso, fazendo o dilúvio, mas salvando os bons homens e os animais. Foi assim que a Arca ficou presa no Monte Ararat. A Epopeia de Gilgamés, com o mitológico deus-herói, descreve um dilúvio sobre toda Continue a ler

O Essequibo

Neste domingo a Venezuela fez um plebiscito para decidir sobre a anexação do Essequibo, velha disputa de fronteira rediviva por Hugo Chávez. Se não valessem as arbitragens, teríamos também direitos na região, mas o Brasil sempre honrou seus compromissos. Em várias ocasiões tratei dessa questão. Em 2007, perguntei em artigo: “Para que a Venezuela está se armando?” Em 2015 a invasão esteve por um triz, e escrevi o seguinte: “A Venezuela, no tempo de Chávez, fez uma grande escalada armamentista. Expus aqui na Folha e no Senado minha preocupação com Continue a ler

Perdemos o maior humanista brasileiro

A velhice é, dizia Norberto Bobbio, sobreviver. Essa palavra significa continuar vivo, mas também que outros estão mortos. E, quanto mais sobrevivemos, mais perdemos: pais, irmãos, parentes, amigos vão nos deixando sós, terrivelmente sós. Neste domingo faleceu mais um querido amigo, Alberto da Costa e Silva. Fomos amigos por tantos anos! Tínhamos a afinidade intelectual da literatura, do gosto dos livros, de uma visão de mundo. Tínhamos laços de origem: ele era paulista, mas, filho de piauiense, neto de maranhense, sentia-se ligado ao Parnaíba, cantado por seu pai, o poeta Continue a ler

Alberto da Costa e Silva

É com muita tristeza que escrevo esta nota sobre meu querido amigo Alberto da Costa e Silva, que faleceu nesta madrugada. Fomos amigos por tantos anos! Nos víamos toda hora, Vera, sua mulher, e ele, Marly e eu, enquanto estavam em Brasília. Tínhamos a afinidade da vizinhança de Maranhão e Piauí, terra de seu pai, o poeta Da Costa e Silva, autor de Saudade “Parnaíba — o velho monge / as barbas brancas alongando”. Mas também a comum visão do Mundo. Alberto foi um intelectual completo. Grande diplomata, com uma Continue a ler

Ainda em guerra

Contei aqui, semana passada, um pouco da minha participação na Segunda Guerra. Que achava que, em breve, seria um soldado aliado. Escrevi a meus pais, que moravam no interior do Estado, cartas preocupadas, contando os boatos que circulavam na cidade sobre submarinos alemães nas costas, sobre ameaças de bombardeio, sobre espiões alemães e italianos agindo em São Luís e sobre o perigo dos “quinta-colunas”. Quando a guerra terminou, festejei com grande alegria, escrevi poemas sobre “a aurora de um novo dia”. (Que frustrações!) Meu pai contou-me que em Pinheiro eles Continue a ler

A minha guerra

Na infância estão depositadas as memórias mais marcantes que foram guardadas em nossa vida. Muitas delas são lembranças puras, simples, lúdicas, que alimentam nossa personalidade no julgamento das cores, das belezas da natureza, no carinho com os animais e em nossos primeiros sinais da força de possessão do amor. Recordo nas Memórias de Além-Túmulo, de Chateaubriand, a lembrança dos seus carneirinhos. Mas o de que eu queria falar mesmo é que tenho uma forte memória da II Guerra Mundial. O Maranhão foi uma base aérea, e eu, aos 14 anos, morava Continue a ler

O Pré-sal da Amazônia é feminino

A Amazônia nasceu sob o signo da controvérsia: era espanhola ou portuguesa? A dificuldade de se localizar a linha do Tratado de Tordesilhas se esgarçou com a união das duas coroas sob Filipe I. No século XVIII o Marquês de Pombal herdou a solução do Tratado de Madrid, a tese do uti possidetis. Ao designar para governar o Estado de Maranhão e Grão-Pará o seu meio-irmão, Francisco Xavier de Mendonça Furtado, o instruiu, em cartas secretas, que seu objetivo maior era assegurar que aquelas terras fossem portuguesas e que sua missão principal Continue a ler

Os Olhos de Gaza

Meu primeiro contato com Gaza data do meu tempo da Faculdade de Direito no Maranhão, onde me diplomei. Estava naqueles anos em que queria conhecer os grandes livros e caiu-me na mão um best seller de então, Sem Olhos em Gaza, de Aldous Huxley. O título vem da epígrafe, um verso de Milton que diz ter Sansão, capturado e cego pelos Filisteus, ido trabalhar em Gaza, em condições de tortura. Huxley escrevera um romance em que um sibarita se desiludia com a sociedade dissoluta. Gaza teve um destino cruel como cidade: com Continue a ler

AML faz Sessão da Saudade em homenagem a Antônio Carlos Lima

Uma sessão de saudade e reconhecimento para homenagear a memória do jornalista e escritor Antônio Carlos Gomes Lima (1956-2023). Essa foi a programação especial realizada na tarde desta quinta-feira (26) no Salão Nobre da Academia Maranhense de Letras (AML), entidade da qual Lima era membro desde 2012. Antônio Carlos Lima  faleceu no último dia 8 de outubro, aos 66 anos, em Brasília. O evento, intitulado Sessão da Saudade, foi aberto pelo presidente da AML, Lourival Serejo e marcado por homenagens feitas por acadêmicos e amigos, exaltando a obra e a Continue a ler

Ao receber o título de Doutor Honoris Causas do IDP

É com grande emoção que recebo o título de Doutor Honoris Causa de uma Casa de Educação e Cultura como o Instituto Brasileiro de Ensino,  Desenvolvimento e Pesquisa – IDP. Hoje essa emoção é redobrada por ser uma  homenagem feita a um velho de 93 anos, que está afastado da política e que  muito se esforça para lembrar as aulas da humilde Faculdade de Direito do  Maranhão, humilíssima se comparada com as figuras magistrais que criaram e  mantêm viva essa extraordinária instituição de Direito que é o Instituto  Brasileiro de Continue a ler

Parem! Parem! Parem!

O homo sapiens tem o DNA da violência. A teoria da evolução pode substituir, com sua história, a expressão “sobrevivência do mais forte”, por “sobrevivência do mais violento”. Assim sua luta pela sobrevivência nada mais foi do que uma luta de destruição dentro da própria espécie. Esse processo está muito ligado à religião, na disputa pela hegemonia do seu Deus. O mundo evoluiu e julgávamos que esta fase pertencia ao passado. A atual guerra de Israel em Gaza mostra que o homem continua o mesmo. A incursão de um inimigo sobre o Continue a ler

Dica Cultural: O Menino do Dedo Verde, um clássico da literatura infantojuvenil

Na Dica Cultural deste domingo, o destaque vai ser a história de Tistu, um menino de 8 anos de idade que mora na cidade de Mirapólvora. Tistu tem um segredo que o faz  diferente de todo mundo:  ele tem um polegar verde que tem poderes mágicos. Com esse dom, Tistu faz crescer plantas e flores onde toca com seu polegar. Um segredo que compartilha com o seu amigo, o velho jardineiro Bigode.  Com o tempo, o menino vai descobrindo os fatos tristes da vida, como guerras, prisões e, na tentativa Continue a ler

José Sarney é homenageado pelos serviços em prol da Democracia

O ex-presidente José Sarney recebeu na noite desta quarta-feira (18) o título de Doutor Honoris  Causa, em reconhecimento às suas contribuições ao Estado Democrático de Direito do Brasil. A homenagem foi concedida pelo Instituto Brasileiro de Ensino, Desenvolvimento e Pesquisa (IDP) e foi realizada durante o 26º Congresso Internacional de Direito Constitucional, organizado pela instituição, em Brasília. O evento, que é realizado até amanhã (19),  conta na programação com a presença de autoridades como o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, e os ministros Gilmar Mendes, Cármen Continue a ler

José Sarney visita Feira do Livro de São Luís

Despertando olhares de admiradores, pedidos de fotografias e bastante euforia do público. Quem esteve na Feira do Livro de São Luís (FeliS) no início da noite desta terça-feira (17) deparou-se com uma visita ilustre: o escritor José Sarney foi prestigiar o evento, que acontece até o próximo dia 22 na Praça Maria Aragão, centro de São Luís. Atendendo a todos os pedidos de fotografias, autógrafos em obras literárias e conversas, cujo teor versavam sobre literatura e política, José Sarney percorreu toda a estrutura do evento, visitou estandes, conferiu lançamentos de Continue a ler

Barril de pólvora

Coube à região do Oriente Médio, pela sua posição geográfica, transformar-se, ao longo da História, em um ponto de fricção. Ali nasceram as três grandes religiões monoteístas que hoje disputam o mundo.  A existência de deuses faz parte, segundo os antropólogos, das ideias inatas do homem. Fator de identidade étnica, tornou-se instrumento de domínio.  Ao contrário da multidão de crenças em deuses múltiplos, que tinham facilidade de admitir outros deuses, como faziam os romanos na sua conquista imperial, o monoteísmo tem uma visão excludente, que facilmente degenera no uso da força Continue a ler

Dica cultural: Sagarana de Guimarães Rosa

Aos domingos, o site A Página do Sarney publica uma indicação cultural para os leitores. Todas as obras são indicadas pelo escritor e ex-presidente da República, José Sarney. A dica deste domingo é a obra Sagarana de Guimarães Rosa, cuja primeira edição foi publicada em 1946. Dividida em nove contos longos, entre eles, “O Burrinho Pedrês”, a obra é ambientada no sertão mineiro, com descrições detalhadas de paisagens e costumes e o enredo dos contos versam sobre lendas e relações sociais, sendo um retrato profundo das raízes brasileiras. A partir Continue a ler

José Sarney recebe Medalha “Desembargador Décio Erpen”

O ex-presidente da República José Sarney recebeu a Medalha de Honra ao Mérito “Desembargador Décio Erpen”, concedida pelo Colégio Permanente de Corregedores-Gerais dos Tribunais de Justiça do Brasil. A homenagem foi realizada terça-feira (10) pelo corregedor – geral da Justiça do Maranhão, Froz Sobrinho, durante uma visita a Sarney em sua residência em São Luís. A honraria se destina a agraciar autoridades públicas e privadas que tenham se destacado pelos notáveis serviços prestados e que tenham contribuído para a melhoria da prestação jurisdicional e favorecido a causa da Justiça. Participaram Continue a ler

35 Anos de Constituição

O processo de reforma constitucional de 1988 iniciou-se com a longa discussão sobre as Constituições de 1967 e 1969, isto é, as duas Constituições outorgadas pelo regime militar. Independentemente de suas qualidades ou defeitos, estavam marcadas como ilegítimas. Era necessário, para a redemocratização do país, um novo marco institucional. Este postulado tomou forma como um dos pontos do “Compromisso com a Nação” assumido pela Aliança Democrática, que permitiu a vitória da oposição em 1985. Levado, por força da fatalidade, à Presidência da República, coube a mim convocar a Assembleia Nacional Continue a ler

Dica cultural: Os Tambores de São Luís

“O melhor livro de Josué Montello! Uma narrativa muito bem feita sobre o período da Escravidão no Brasil. Apesar de ter no título ‘São Luís’, não se restringe a uma obra regional, Os Tambores de São Luís sempre foi uma obra nacional, um grande romance que aborda toda a saga e luta do povo negro no país”, dessa forma, o escritor José Sarney relembra uma das obras mais importantes da literatura maranhense que é destaque da Dica Cultural, publicada aos domingos no site A Página do Sarney. Os Tambores de Continue a ler

Constituição de 1988 : 35 anos da aprovação

“Cumpro o dever assumido com a Nação pela Aliança Democrática. A Assembleia Nacional Constituinte realizará, sem dúvida, o grande pacto nacional, que fará o País reencontrar-se com a plenitude de suas instituições democráticas”, diz o trecho do documento assinado pelo Presidente da República, José Sarney, no dia 28 de junho de 1985,  marca uma fase embrionária e de grande importância para a História do Brasil: a retomada da democracia e a aprovação da nova Constituição Federal, o que aconteceu no dia 5 de outubro de 1988, há 35 anos. A Continue a ler

José Sarney fala sobre sua trajetória em podcast

Com uma trajetória marcante na política e na literatura, o ex- Presidente da República, José Sarney concedeu uma entrevista ao podcast Poderosas, comandado por Elanne Vanessa e Jaiany Oliveira. Na conversa, José Sarney relembrou sua infância, sua trajetória política e literária. Ele lembrou como era seu comportamento na escola na época da infância na cidade de Pinheiro, localizada na Baixada Maranhense. Assista a conversa na íntegra aqui    

Emprego e trabalho

A notícia excelente que está nos jornais desse fim de semana — último de setembro de 2023 — me sensibiliza de maneira muito especial: recuperamos o nível de emprego que havíamos atingido há oito anos. A taxa de desemprego caiu para 7,8% no último trimestre. O número de pessoas ocupadas cresceu e chegou a praticamente 100 milhões. O número de empregados com carteira assinada atingiu 37,25 milhões. Mas 13,2 milhões de empregados do setor privado não têm carteira assinada; 67 milhões de pessoas (quase 2/5 da população em idade ativa) Continue a ler

Dica cultural: Dom Quixote

Todos os domingos, a partir deste mês, o site A Página do Sarney vai trazer uma indicação cultural. A proposta é contribuir e incentivar o gosto pelas artes das novas gerações. A iniciativa está em consonância com a vontade de José Sarney, escritor premiado e um entusiasta na divulgação da leitura e cultura em geral para ser aproveitada pelas próximas gerações. Leia aqui como foi o encontro de José Sarney com estudantes em palestra na Academia Maranhense Letras A primeira indicação é um clássico da literatura mundial, considerado um dos Continue a ler

Pegando fogo

A marchinha de Francisco Mattoso lança o grito que nos últimos dias está na pele de todos: “Meu coração amanheceu / Pegando fogo, fogo, fogo!” Coração e braços e pernas estão assando com o caloraço de setembro. Nada da morena que passou perto: foram os recordes de temperatura que nos deixaram assim.   Nós aqui no Maranhão até que escapamos das temperaturas quarentenárias e não precisamos entrar em quarentena, mas no Sul Maravilha a coisa foi feia. Felizmente nós somos um povo que é antes de tudo um forte e não Continue a ler

Nomes que clamam aos céus

Ester de Assis   Oliveira, 9 anos; Maria Eduarda Martins, 9 anos; Lohan Samuel, 11 anos; Djalma de Azevedo Clemente, 11 anos; Eloah Passos, 5 anos; Rafaelly da Rocha Vieira, 10 anos; Juan Davi de Souza Faria, 11 anos; Heloísa dos Santos Silva, 3 anos: cada uma dessas crianças foi morta à bala no Rio de Janeiro!!!! São nomes que clamam aos céus contra o estado de barbárie em que vivemos, registros da saudade que não passa sentida por suas famílias.   Antigamente quando uma criança morria era — o sentido ainda está Continue a ler

Fundação da Memória Republicana e os registros do Brasil

Documentos, livros, obras de arte, registros audiovisuais, objetos raros. Esses são alguns itens que fazem parte do acervo doado por José Sarney à Fundação da Memória Republicana, instalada no Convento das Mercês, localizado no bairro Desterro em São Luís. Os bens correspondem ao período em que ele exerceu a Presidência da República, de 1985 a 1990 e, também, peças e documentos que juntara ao longo da vida, até mesmo antes da Presidência. Esse é o único acervo presidencial que se encontra abrigado na região Nordeste do país.  Localizada no prédio Continue a ler