Close

Ivan Junqueira: sobre “Os Maribondos de Fogo”

Ivan Junqueira •

Da Academia Brasileira de Letras. Prefácio da 4a Edição, 2001.

 

Poética de Raízes

Muito estimado entre nós como ficcionista — Norte das Águas (1969), Brejal dos Guajas e outras Histórias (1985) e Saraminda (2000), além de outros — é todavia como poeta que José Sarney estreia na literatura brasileira, mais precisamente em 1952, quando publicou A Canção Inicial. Tem assim o poeta José Sarney meio século de existência, o que lhe atesta não apenas uma pertinácia de ofício, mas também uma inequívoca vocação lírica, pois, logo adiante, em 1979, retorna ele ao verso com Os Maribondos de Fogo, que chega agora — e em boa hora — à sua quarta edição. E se assim o digo é porque nele e em sua prosa a poesia jamais o abandonou, imprimindo-se como um estigma nos contos e romances que nos deixou.

%d blogueiros gostam disto: